A resposta aos impactos negativos gerados pela pandemia do COVID-19 implicou várias alterações também na política externa de Apoio ao Desenvolvimento, traduzidas no reforço e na reorientação dos meios da Cooperação Portuguesa, tanto no quadro do relacionamento bilateral como multilateral.

A somar aos fundos de financiamento e outros instrumentos já em curso, designadamente de ação humanitária, foi lançado um apoio excecional para projetos específicos da cooperação portuguesa no combate à pandemia do COVID-19 e mitigação dos seus efeitos nas populações, a executar, nos PALOP (Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa) e em Timor- Leste, por ONGD (Organizações Não Governamentais para o Desenvolvimento) portuguesas.

O novo mecanismo assim criado tem uma dotação extraordinária de 750 000,00 euros e prevê a realização de ações nas áreas da saúde e socioeconómica, a iniciar no mês de julho, depois de um procedimento de seleção já em curso, e gerido pelo Camões I.P.

É incentivada a apresentação de projetos com base em consórcios entre ONGD portuguesas e em parceria com entidades públicas nacionais dos países destinatários, bem como com organizações da sociedade civil locais e instituições internacionais a operar no terreno.

  • Partilhe